O pecado como uma fruta doce

O que é o pecado?

Segundo Santo Agostinho, o pecado é “«uma palavra, um ato ou um desejo contrários à Lei eterna»“, causando por isso ofensa a Deus e ao seu amor. Ou seja, toda vez que colocamos a nossa vontade contra a vontade de Deus, nós pecamos. É o orgulho ou soberba que nos leva a ele e é o pecado que nos condena. Por isso, Satanás adora nos fazer pecar, primeiro nos aliciando com pensamentos  de que não tem problema nenhum cometê-lo e depois, quando cedemos, nos acusando de todos os nomes possíveis pela nossa fraqueza.

Mas porque o pecado parece bom aos nossos olhos? Ele se apresenta a nós como uma fruta doce, suculenta e que se não a apanharmos perderemos uma grande oportunidade de felicidade. E aí está a grande mentira que aceitamos sem questionar, a de que se fizermos o que quiser seremos felizes. Relacionamos pecado com felicidade. Todo homem tem um vazio dentro de si do tamanho de Deus ” – disse Dostoiévski. E esse é o problema que nos atormenta. Esse vazio angustiante, essa vida pequena que vivemos nos leva a buscar a tentar a felicidade aqui mesmo, através de uma satisfação passageira e fugaz. Mas o que parece um grande prêmio com o tempo mostra as garras que o demônio escondeu naqueles desejos e nos leva a um vazio maior. Mas onde está a felicidade então?

A felicidade e a paz não são atos mas sim, uma presença. Ela já existe dentro de nós, mas não a escutamos. Essa força interna irradia ao nosso coração uma calma e uma alegria que podem se tornar incomensuráveis se nos calarmos e não agirmos fora da sua ressonância. Para senti-la temos que calar os nossos desejos, buscar a presença divina em nossas vidas e aos poucos esse sussurro se tornará cada vez mais forte até virar uma voz  poderosa, que nos transformará em seres cheios de felicidade e paz. Calar-se, conter-se e buscar fazer a vontade de Deus aqui na Terra, pode nos fornecer um vislumbre, mesmo que fugaz, do paraíso.

Mas se fizermos o contrário e adotarmos o pecado como norma em nossas  vidas, essa voz que estará cada vez mais distante da nossa consciência, até  que não ecoe mais em nosso coração. Aí a condenação de Deus será certa, porque Ele é misericórdia mas também é justiça.Por isso Nossa Senhora vem até nós nos alertar para não fugirmos de Deus pois o mal poderá se  tornar opaco demais para  que o percebamos, nos levando direto para a condenação eterna.

Nossa Senhora disse em uma mensagem:

” Muitos perderam o senso do pecado, por isso ele é cada vez mais cometido e justificado, e assim, cresce cada vez mais o número das almas que se precipitam diariamente no inferno. ”

Trecho da Mensagem de Nossa Senhora Rainha da Paz nº 222, de 24/10/1989

“Estais vivendo em um mundo que já não define pecado como um mal. Muitos perderam o senso do pecado, por isso ele é cada vez mais cometido e justificado, e assim, cresce cada vez mais o número das almas que se precipitam diariamente no inferno. Cada momento em que viveis na Terra, estais correndo grande risco de vos perder eternamente. Certamente não posso pedir-vos que fiqueis ou não vivais nesse mundo. Segundo a vontade do Meu Filho, deveis viver no mundo, sem porém ser do mundo. Meu desejo é que todos sigam apenas o Meu Filho Jesus, que é a vossa vida. Ele subiu ao Céu para vos preparar um lugar e para ajudar-vos a viver neste mundo, tendo um olhar sempre voltado para o Céu.”

Fernando Frascari

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *