Padre Pio sempre apoiou as aparições de Garabandal, mostrando a veracidade das aparições.

A PRIMEIRA CARTA DO PADRE PIO.

Em 3 de março 1962, na história dos incríveis acontecimentos de Garabanbal, foi o dia que chegou as mãos de Conchita Gonzalez a primeira enigmática e inesperada carta do Padre Pio de Pietrelcina para as videntes. De fato, uma comprovação inequívoca da autenticidade destas incríveis aparições, não somente por ser uma carta enviada por um santo estigmatizado as videntes de Garabandal, mas porque foi a própria Nossa Senhora que pediu para o Padre Pio enviar, pautando o teor da mesma.

Era o “primeiro sábado” de março, Conchita recebeu uma carta endereçada as quatro videntes na aldeia. Ela veio do Padre Pio, como a própria Santíssima Virgem confirmaria à Conchita, durante um êxtase que ela teve no mesmo dia.
Carta (texto) – Observe que o Padre Pio recebeu uma mensagem de Nossa Senhora e que era para ele endereçar as meninas de Garabandal:

“Queridas filhas, esta manhã, às nove horas, a Santíssima Virgem me pediu para lhes dizer: Óh benditas meninas de San Sebastian de Garabandal eu prometo que vou estar com vocês até o fim dos tempos e que vocês vão estar comigo até o fim do mundo. Então, vocês estarão unidas a Mim na glória do Paraíso.
Estou lhe enviando uma cópia do Rosário de Fátima (na verdade um Terço que está até hoje com a Conchita) que a Santíssima Virgem me pediu para enviar à vocês. Este Rosário foi enviado pela Santíssima Virgem e deve ser divulgado (difundir a oração do Rosário) para a salvação dos pecadores e para a preservação da humanidade contra o pior dos Castigos que Deus está ameaçando nos enviar.
Eu estou dando-lhes apenas um conselho: rezar e fazer os outros rezar, pois o mundo está à beira da ruína. As pessoas não acreditam em vocês, eles não acreditam em suas conversas com a Virgem Maria…
As pessoas vão acreditar quando já vai ser muito, muito tarde”.

Assim que ela recebeu esta carta, Conchita enviou ao Padre Pio uma carta pessoal, com “uma mensagem secreta da Santíssima Virgem do Monte Carmelo e dirigida a ele.”

Sabemos que após as aparições públicas, quando Conchita esteve na Itália à pedido do Beato Papa Paulo VI para uma audiência, ela pediu para sua mãe Dona Aniceta e o Padre Luna levá-la até o Convento daquele frade capuchinho que sempre apoiou os eventos em Garabandal. E em San Giovanni Rotando durante este encontro com o Padre Pio, o mesmo deu de presente para Conchita uma de suas meia luvas ensanguentadas dos estigmas. Padre Pio não costumava fazer isto com ninguém e até os dias de hoje Conchita guarda com muito zelo e amor a santa relíquia que ganhou do Padre Pio (veja no primeiro comentário desta postagem a foto atual da relíquia na casa de Conchita, em Long Island).

Fonte: Extraído do livro “Garabandal”, página 125
Apostolado de Garabandal de USA – Long Island

Fernando Frascari

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *